Saúde dos pés das crianças: as principais doenças e como tratá-las

saúde dos pés das crianças
7 minutos para ler

Unhas encravadas, surgimento de fungos, desenvolvimento inadequado do arco plantar ou mesmo joanetes são alguns dos principais problemas que afetam a saúde dos pés das crianças. Para evitá-los, alguns cuidados, como o uso de calçados adequados para a idade e a adoção de medidas de higiene, são fundamentais. 

Os problemas, normalmente, ocorrem porque essa parte do corpo nem sempre é vista com a atenção necessária. Como o desenvolvimento dos pés acontece de forma gradual, muitas vezes a criança acaba utilizando um calçado apertado, sem que ninguém se dê conta dos riscos.

Além disso, existem outras questões que afetam a saúde dos pés. Continue a leitura e confira as dicas que adotei aqui em casa e deram muito certo!

Quais problemas afetam a saúde dos pés?

Você sabia que vários problemas podem afetar tanto o desenvolvimento da estrutura óssea dos pés quanto das unhas? Por esse motivo, nós, pais, precisamos prestar atenção a essa parte do corpo da criança e, em caso de dúvida, procurar orientações com um profissional especializado (ortopedista ou podologista).

Já pesquisei muito sobre esse assunto, pois enfrentei problemas com minhas crianças. O uso de sapatilhas de ballet causou o encravamento das unhas da minha filha. Meu menino, por sua vez, sofreu com fungos por causa da umidade. Por isso, decidi dividir com vocês a minha experiência!

Em primeiro lugar, é preciso entender que existem algumas deformidades congênitas, como o pé boto, que são identificadas no nascimento e já tratadas, de forma conservadora ou cirúrgica, de acordo com critério de um médico ortopedista.

Porém, há outros problemas que podem surgir ao longo do desenvolvimento da criança, que só os pais ou cuidadores conseguem observar. Por isso, precisamos estar sempre atentos! Confira as disfunções mais comuns nos pés infantis:

  • ausência do arco plantar, condição conhecida como pé chato, que podem levar a alterações nos joelhos e no quadril;
  • joanetes (hallux valgus);
  • onicopatias (doenças ou deformidades nas unhas);
  • transpiração excessiva;
  • fungos e micoses;
  • bolhas e ferimentos;
  • dermatites.

Como garantir a saúde dos pés das crianças?

O principal cuidado, como expliquei, é ter atenção ao desenvolvimento infantil. O pé chato, por exemplo, não causa dores em crianças pequenas, o que significa que elas não vão reclamar. Você já reparou que alguns bebês usam sapatinhos bem justos e não demonstram desconforto?

Assim, cabe aos pais ou responsáveis observarem qualquer irregularidade ou condição diferente do padrão normal (por exemplo, dedos sobrepostos ou ausência do arco plantar).

Confira minhas sugestões para evitar problemas e manter a saúde dos pés em dia!

Entenda que a criança tem o momento certo para ficar em pé

Precisamos entender que cada criança tem um desenvolvimento único. Algumas começam a andar sozinhas antes de 1 ano, outras um pouco mais tarde. Você certamente já viu um pai ou mãe com ansiedade porque a criança ainda não estava caminhando em determinada idade, não é?

No entanto, é fundamental saber que colocá-la em pé ou fazê-la caminhar antes que esteja preparada pode causar danos aos pés. Afinal, eles suportam todo o peso do corpo e é necessário equilíbrio para andar. Antecipar essa fase pode levar a problemas no desenvolvimento, e ninguém quer isso para a criança, certo?

Escolha calçados adequados à faixa etária

Os bebês têm pés flexíveis, constituídos por cartilagem. Por isso, nessa fase precisam usar calçados apropriados, em tecido e maleáveis. Porém, ao longo do desenvolvimento infantil, as necessidades começam a mudar:

  • quando começam a andar, é essencial que usem calçados com sola antiderrapante, para evitar quedas;
  • pela mesma razão, dê preferência a modelos fechados por velcro ou com cadarços de elástico, que ajudam a evitar tombos;
  • entre 2 e 7 anos, o arco plantar se desenvolve. Assim, calçados com palmilha anatônica são importantes;
  • no caso das meninas, evite modelos com salto, que prejudicam a postura e também podem causar desequilíbrios.

Observe os calçados

Por mais que seja tentador comprar um número um pouco maior, já que as crianças costumam perder os calçados rapidamente, aconselho a não fazer isso! O calçado precisa ficar ajustado no calcanhar, para evitar problemas como pisada errada ou mesmo desequilíbrios. 

O ideal é que exista uma pequena folga na parte da frente, para não apertar os dedos. Isso evita vários problemas, como encravamentos nas unhas (justamente o que ocorreu com minha filha, que usava uma sapatilha de ballet apertada na ponta) e deformações nos dedos.

Quando o pé da criança crescer, a melhor solução é descartar o modelo, pois sapatos apertados podem causar dores, bolhas e feridas.

Para crianças que já andam, outro cuidado é observar a sola. O desgaste maior em alguns pontos pode indicar que a pisada está errada (com os pés para dentro ou para fora, por exemplo). Pisadas pronadas ou supinadas prejudicam as articulações dos tornozelos, joelhos e quadris.

Tenha cuidado com a higiene

É importante que os pés das crianças sejam lavados diariamente, com sabão, e secos (especialmente entre os dedos) antes de calçar meias ou sapatos. Em minha casa, esse problema foi resolvido com muita explicação sobre a necessidade de secar os pés. Mas não tem jeito: essa é a orientação para evitar o desenvolvimento de fungos, decorrentes do excesso de umidade no local. 

As unhas também precisam ser aparadas com cuidado, com corte reto, o que evita encravamentos nos cantos. É fundamental que sejam totalmente secas depois do banho. 

Alterne o calçado

É importante alternar o uso de calçados, para que eles sejam arejados e não fiquem com umidade. Prefira sempre modelos que permitam a ventilação dos pés. Opte também por meias de algodão, que ajudam a absorver a umidade natural (transpiração).

Tenha atenção aos riscos do verão

Além de todos esses cuidados, algumas situações pontuais merecem maior atenção. No verão, por exemplo, é comum que a criança ande descalça em praias ou piscinas, o que pode favorecer o contato com fungos. O tratamento para isso (sei por experiência própria) costuma ser demorado.

Para prevenir, é importante manter os pés protegidos por calçados apropriados para uso em tais locais. Além disso, mantenha a higiene.

O que fazer ao identificar problemas?

Se, apesar de todos os cuidados, você notou um fungo ou dermatite nos pés da criança, é fundamental procurar um médico especializado, preferencialmente um dermatologista. Unhas encravadas e deformidades em seu crescimento, no entanto, podem ser tratadas por um podologista. No caso de problemas ortopédicos ou na pisada, procure o ortopedista.

Além de tratar corretamente o problema, também é importante analisar qual foi a sua origem. Ou seja, verificar se os calçados estão apertados, se a pisada da criança está errada, se o material do sapato favorece a transpiração, entre outros. 

Como você percebeu, os cuidados com a saúde dos pés das crianças são essenciais para garantir o seu desenvolvimento adequado, manter o conforto e a segurança, evitar dores e problemas posturais, além de desconfortos como micoses, bolhas e ferimentos. Por isso, tenha atenção: nunca negligencie essa região do corpo de seus filhos!

Gostou do post e tem dúvidas sobre como escolher o calçado adequado para cada faixa etária? Deixe seu comentário abaixo que terei prazer em ajudar!

Você também pode gostar

Deixe um comentário