Entenda como funciona o crescimento dos pés das crianças

crescimento dos pés
7 minutos para ler

Do nascimento até o fim da adolescência e início da idade adulta, os pés passam por várias fases diferentes de desenvolvimento, evoluindo conforme a necessidade infantil (ficar em pé, equilibrar-se e caminhar). Mesmo sabendo disso, nós, que somos mães, ainda nos surpreendemos com o rápido crescimento dos pés das crianças, não é?

Afinal, quem nunca comprou um calçado infantil novo e, pouco tempo depois, percebeu que não servia mais? É importante ter atenção a esse detalhe, pois um sapato inadequado pode trazer vários problemas, como o chamado pé chato (ausência de arco plantar), joanetes (hallux valgus) ou mesmo contribuir para o surgimento de unhas encravadas.

Para você entender melhor como é o crescimento do pé da criança e acertar na escolha do calçado, eu trouxe algumas dicas exclusivas! Acompanhe o post!

Como é o crescimento dos pés infantis?

Os pés são estruturas responsáveis por sustentar o peso corporal e pela locomoção. Durante os primeiros meses de vida (até cerca de dois anos), eles crescem rapidamente. Depois desse período, o crescimento costuma ocorrer de maneira constante no caso das meninas, até os 12 anos. Já os meninos têm uma fase de crescimento acelerado, geralmente entre 12 e 15 anos.

No entanto, ao longo do crescimento, acontecem várias mudanças em sua estrutura, acompanhando o desenvolvimento infantil. Confira as mudanças dos pés em cada etapa da vida das crianças!

Do nascimento até 2 anos

Quando a criança nasce, os pés são mais arredondados e medem 7,5 cm, em média. A camada de gordura não permite visualizar o arco plantar. Nessa fase, os pés têm muitos receptores sensoriais, que permitem que os bebês processem informações e recebam estímulos.

No momento em que a criança consegue ficar em pé e começa a dar os primeiros passos, os pés são essenciais para o equilíbrio. Ossos, músculos e o arco plantar vão, gradualmente, se formando.

Entre 2 e 7 anos

Nessa etapa, os pés ficam mais musculosos, o arco plantar surge e os ossos se desenvolvem. A criança já consegue caminhar, correr, subir e descer. O ideal é o uso de calçados leves, maleáveis e com aderência, permitindo que a criança se movimente com segurança em todos os tipos de piso.

A partir de 7 anos

Depois dos 7 anos, os músculos e o sistema ósseo estão em pleno crescimento. Com o desenvolvimento da criança, os pés também assumem um papel essencial no amortecimento, ou seja, na sustentação do peso infantil.

Como já expliquei, nas meninas, os pés costumam crescer de forma constante até a puberdade, por volta de 12 anos. Já os meninos apresentam um período de maior crescimento, justamente na mesma fase, durante o estirão da adolescência, que ocorre aproximadamente em torno dos 12 a 15 anos.

Ao final da adolescência, o pé terá 26 ossos, 19 músculos e 107 ligamentos.

Qual é a importância da escolha correta dos calçados?

Como você notou, a anatomia dos pés vai se modificando ao longo de toda a infância até a idade adulta. Aqui em casa, eu ficava impressionada com o tanto que os pés dos meus pequenos mudavam e cresciam em cada fase!

Nos primeiros anos de vida, são formados por músculos, gordura, tendões e nervos, mas, à medida que a criança vai se desenvolvendo, as cartilagens se transformam em ossos. Ou seja, os pés não são totalmente ossificados. Isso significa que, mesmo utilizando um calçado apertado, as crianças não sentirão dor. Alguns estudos demonstram, inclusive, que metade das crianças utilizam sapatos em tamanho menor do que o adequado.

Apesar disso, a escolha errada dos calçados infantis pode levar ao desenvolvimento de problemas. Joanetes, alteração do arco plantar ou deformidades nos dedos comprometem a pisada, com reflexos na postura ou em outras estruturas do corpo, como quadris, coluna e joelhos.

Por essa razão, os pais devem ficar atentos ao tamanho adequado do calçado, priorizando o conforto e a segurança da criança.

Como escolher corretamente o calçado?

Em média, os pés infantis crescem 1 milímetro a cada mês. O calçado ideal deve ser um pouco maior do que o pé, mas nunca mais do que 17 milímetros, para evitar desconfortos ou mesmo problemas de segurança, uma vez que não ficarão bem ajustados.

Observar esse cuidado é muito importante, pois muitos pais tendem a comprar calçados maiores, na expectativa de que a criança possa usá-los por mais tempo. É fundamental ter atenção a isso, já que o suposto custo-benefício coloca em risco a formação muscular e óssea dos pés.

Assim, o ideal é que a cada cinco ou seis meses, o tamanho dos pés das crianças seja avaliado, pois, provavelmente, depois desse período, será necessário substituir os calçados. Lembre-se, ainda, de que no caso dos sapatos fechados utilizados com meias, como tênis, botas ou chuteiras, esse cuidado é ainda mais essencial.

Além do tamanho correto, outros aspectos são importantes na hora de escolher o calçado:

  • é preciso que o calçado tenha uma folga na parte da frente, para não apertar os dedos;
  • também é necessário um bom encaixe do calcanhar;
  • a sola deve ser flexível e antiderrapante;
  • o calçado deve permitir a ventilação dos pés;
  • nos primeiros anos de vida, é importante que a palmilha seja anatômica, com uma curva para ajudar na formação do arco do pé;
  • sempre que possível, dê preferência a sapatos e tênis fechados com velcro, o que evita que se desamarrem acidentalmente, causando quedas.

Confira outros cuidados

Depois que a criança começa a andar, as solas antiderrapantes são essenciais, reduzindo o risco de quedas durante as brincadeiras. Os modelos também precisam ser arejados, o que evita o surgimento de fungos, que podem causar micoses. Vale destacar que a limpeza dos calçados, antes de guardá-los, também é uma medida importante para evitar a proliferação de micro-organismos.

Outro cuidado importante é escolher o calçado de acordo com a idade da criança. Isso é ainda mais relevante no caso das meninas, que, muitas vezes, querem usar modelos com salto, que podem comprometer seu desenvolvimento, sua postura e até sua segurança.

Além disso, é muito comum que a criança herde algumas peças de roupas ou mesmo calçados de um irmão mais velho, certo? Porém, nesse caso, é preciso cautela, pois o irmão maior pode ter a pisada diferente, o que causará problemas ortopédicos ao irmão mais novo. O ideal é evitar a reutilização.

Como você percebeu, além do ritmo de crescimento dos pés, outros critérios — como conforto, segurança e adequação à idade — são essenciais para a escolha de calçados infantis.

Gostou destas informações que eu trouxe? Então, assine agora mesmo a newsletter e receba, diretamente em seu e-mail, outras informações importantes sobre o universo infantil!

Você também pode gostar

Deixe um comentário