8 dicas essenciais para ter uma casa segura para as crianças

casa segura
7 minutos para ler

A infância é a fase das descobertas! As crianças querem explorar o mundo ao seu redor, e é normal que apareçam com o joelho ralado ou algum outro hematoma de suas aventuras. O problema é que grande parte desses acidentes não acontecem nas ruas e, sim, dentro de casa — e esses casos podem trazer consequências graves.

Segundo dados da organização Criança Segura, em 2018, mais de 110 mil crianças e adolescentes de 0 a 14 anos foram hospitalizados devido a acidentes domésticos. No mesmo período, quase 4 mil crianças e adolescentes nessa faixa etária vieram a óbito por causas como afogamentos, intoxicações, queimaduras e quedas.

Por isso, é fundamental garantir uma casa segura para os pequenos. Por mais que pareçam inevitáveis, a maioria dos acidentes pode ser combatida com algumas medidas práticas. A seguir, separei 8 dicas adotadas aqui em casa que deixam meus filhos longe do perigo e que poderão ajudar você a proteger a criançada por aí. Confira!

1. Adapte os móveis e objetos de decoração

O lar deve ser um local seguro para a família, especialmente para as crianças. É essencial adaptar a sua casa para evitar futuros acidentes que possam levar a uma ida ao pronto-socorro. Não é necessário trocar toda a mobília ou modificar totalmente a decoração, pois, com ações simples, já dá para blindar os pequenos.

O primeiro passo é adaptar os móveis. Peças com quinas pontiagudas precisam de protetores arredondados para que seu filho não se machuque. Também é importante se apoiar na beirada de móveis como cômodas ou aparadores para saber se eles correm o risco de virar. As opções que ofereçam possibilidade de a criança subir devem ser afastadas de janelas.

Avalie se os itens com vidro têm o material temperado. Se não forem, é possível aplicar uma película para que, em caso de quebra, dê para controlar os danos. Certifique-se de que os espelhos estão bem presos e não ofereçam riscos para os pequenos.

Objetos de decoração de vidro ou que possam perfurar as mãozinhas devem ser transferidos para prateleiras no alto. Imagine-se do tamanho de uma criança e o que pode ser interessante aos olhos dela. Se o item for perigoso, prefira posicioná-lo em um local inacessível. Evite colocar esses objetos chamativos sobre móveis que o pequeno consiga subir, já que ela pode cair e se machucar.

2. Escolha camas e berços adequados

O espaço de dormir dos bebês e das crianças deve ser confortável e adequado. O berço precisa ter o certificado do Inmetro para garantir que aquele item cumpre as normas de segurança da Associação Brasileiras de Normas Técnicas (ABNT).

Confira se os parafusos estão bem presos e se não há nada que possa machucar o bebê. As grades de proteção devem ser fixas e respeitar a distância de 5cm entre elas. Almofadas e travesseiros podem ficar lindos no berço, mas oferecem risco de sufocamento, por isso, precisam ser evitados.

Se a criança já estiver na idade de usar a cama, minha dica é colocar uma grade de proteção até os 5 anos. Menores de 6 anos não devem ficar na cama superior de beliches e, depois, ela deve contar com uma grade de proteção.

3. Mantenha produtos químicos fora do alcance das crianças

Para uma casa segura, também é essencial manter os produtos de limpeza longe do alcance infantil, já que oferecem risco de envenenamento. O ideal é que fiquem em um armário trancado em suas embalagens originais. Ao colocar um amaciante em uma garrafa de refrigerante, a criança pode achar normal tentar beber o líquido.

Enquanto estiverem em uso, é importante manter os produtos sempre por perto e em um local inacessível para os pequenos. O que eu também faço é ficar de olho para não usar opções que ofereçam riscos à saúde dos meus filhos. Certifique-se de que seu filho esteja longe do local de aplicação de certos produtos, como os inseticidas.

4. Prefira cortinas e persianas sem cordas

A cortina não pode ter um comprimento muito longo para que a criança não consiga alcançar. Além disso, ela deve ficar longe de cadeiras, berços, camas e objetos nos quais o pequeno possa subir.

Prefira cortinas e persianas sem cordas, já que há o perigo de estrangulamento se alguém ficar preso. Confira se as cortinas e persianas estão bem presas nas paredes e se não oferecem risco de cair.

5. Evite carpetes e tapetes

Os tapetes deixam o ambiente mais confortável e, nos dias frios, esquentam os cômodos. Porém, é necessário tomar cuidado para que as crianças não tropecem ou escorreguem. Para uma casa segura, eu dou preferência para os tapetes antiderrapantes ou coloco adesivos especiais embaixo das peças.

Os carpetes devem ser evitados, já que acumulam poeira e podem contribuir para alergias. Além disso, fica mais difícil notar pequenos objetos que caem sobre ele, como os brincos. Nesses casos, a criançada pode pisar e se machucar.

6. Proteja as tomadas

A maioria das tomadas tem um formato que lembra uma carinha, não é mesmo? Os pequenos furos são irresistíveis para as crianças e, se ficam expostos, são causadores de choques. Para evitar que isso aconteça, adquira protetores de tomadas e coloque em todas do lar.

Outra dica importante é cuidar das tomadas em uso. Enrole os fios e prenda-os com organizadores para que a criança não sinta vontade de mexer. Escondê-los em suportes também é uma boa ideia. O ideal é ligar aparelhos em tomadas mais altas, onde a criança não tem acesso.

7. Garanta a segurança nas janelas e portas

As quedas podem ser fatais. Por isso, é fundamental cuidar das janelas para ter uma casa segura. Instale redes de proteção ou grades, além de travas para que o seu filho não consiga abri-las.

As travas também valem para as portas, principalmente as que dão acesso à rua, à área externa e à cozinha. Se esse cômodo não tiver porta, é importante investir em um portão de proteção para que o pequeno não possa chegar até esse espaço. O mesmo deve ser feito na subida e na descida das escadas.

8. Tome cuidado com a área externa

Por mais que a porta para a área externa possa ter uma trava ou fechadura, é fundamental evitar possíveis acidentes. Se alguém esquecer a porta aberta, o seu filho terá acesso ao quintal livremente. Ao redor da piscina, é importante instalar uma cerca com no mínimo 1,5m e que tenha trava.

Se o piso da área externa for escorregadio, minha dica é investir em soluções que tornem o material antiaderente. Objetos com água, como baldes e piscinas infantis, devem ser esvaziados e armazenados fora do alcance da criança. Se os pequenos forem brincar do lado de fora, mantenha sempre a supervisão de um adulto, combinado?

Observe o seu jardim e certifique-se de que não há nenhum tipo de planta tóxica. Espécies como o comigo-ninguém-pode e o copo-de-leite podem causar vômitos e até asfixia. Melhor não correr o risco, né?

Manter a casa segura é fundamental para evitar acidentes domésticos com as crianças. Apesar de todas as medidas, situações adversas podem acontecer. Portanto, ter um plano para emergências é indispensável. Recomendo manter os documentos da criança em um local de fácil acesso, conhecer os primeiros socorros e manter a calma para pedir ajuda. Não hesite em ligar para a emergência ou o auxílio especializado, certo?

Agora que você já sabe como manter a casa segura, que tal compartilhar o conteúdo nas redes sociais e ajudar mais pessoas?

Você também pode gostar

Deixe um comentário